terça-feira, 26 de julho de 2016

Mudando prioridades

Em novembro do ano passado, o meu grande sonho era voltar a dançar, depois de mais de dois anos parada. A dança é uma paixão e eu precisava dela como o ar que eu respiro. Fui, me matriculei no estúdio de dança, voltei em janeiro. Mas... a depressão ou bipolaridade ou transtorno de ansiedade ou impulsividade estavam tão absurdamente grandes, que fui em 2 ou 3 aulas e parei, desisti, não aguentei.

E aí começou a mudança na minha vida. Foram 15 quilos a mais desde dezembro. Fiquei diabética. Minha pressão arterial está limítrofe. Meu colesterol está na casa do caralho. Estou pesando 104 quilos. Como eu deixei isso acontecer comigo mesma? Eu estava ocupada demais cuidando da minha cabeça e larguei meu corpo. Descuidei dele. Meu templo. Destruído.

E as prioridades mudam. O que eu mais quero agora? Quero deixar o diabetes de lado. Quero voltar a ter a pressão 10x9. Quero voltar a fazer esteira sem meus calcanhares doerem como se houvessem agulhas neles. Quero olhar no espelho e ver a Cléa. Onde ela está? Meu sonho hoje? Fazer uma aula de yoga inteira. Ir aos poucos, voltando, meu corpo voltando, voltando, voltando... para de onde nunca devia ter saído.