sábado, 2 de abril de 2016

Lidando com a vida

Ontem, finalmente, após um bate papo com meu psiquiatra, ele resolveu que era hora de aumentar a dosagem de um dos remédios. Eu tomo quatro remédios: Saphris (um antipsicótico), Pristiq (antidepressivo), Lamitor (anticonvulsivante) e Rivotril. O Lamitor dá alergia na pele e deve ser aumentado muito devagar. Estava tomando 50mg dele e agora vamos passar para 100mg. Depois de vinte dias e nenhuma melhora, estava mais do que na hora de aumentar esse remédio e ver se ele começa a fazer efeito.

E a minha vida é assim... de remédio em remédio, esperando que faça efeito. E o que é fazer efeito? É me por de pé cuidando da minha vida, indo ao mercado, trabalhando mais de 1 hora por dia, cuidando dos meus filhos e fazendo tudo o que eu não estou conseguindo fazer agora. De remédio em remédio, há anos, eu busco a estabilidade. Não busco mais a cura, pois, depois de vinte anos, minha depressão, ao meu ver, não tem mais cura. O que eu posso encontrar é estabilidade.

E aí vem a questão do "lidar com a vida". Sou muito ansiosa e me preocupo por antecipação. Meu grande medo é ficar "boa" e daqui alguns meses cair de novo nessa depressão profunda. Eu deveria aproveitar cada dia. Mas já estive tanto nesse lugar aqui que não tem como não pensar nisso. Eu quero estar bem. Mas meu medo é sempre que no dia seguinte eu não esteja. E isso me impede de lidar com a minha vida.

Seja o que for, agora, com o aumento do remédio, espero uma melhora nas próximas duas semanas. Vamos ver.