quinta-feira, 31 de março de 2016

Ser mãe e ser filha

Quando estamos em crise de depressão e temos filhos, e somos filhos, acontece algo muito estranho. Não queremos ser pais, mas precisamos de nossos pais.

Tenho dois filhos lindos que eu amo de paixão, mas neste momento não estou conseguindo ser mãe deles. Porque minha cabeça já está muito cheia de coisas pra pensar, porque me incomoda, me julguem, não consigo ser mãe. E é muito complexo explicar. Mas falo deles com carinho, admiro e quero o melhor do mundo pra eles.

Agora sou filha também e neste momento preciso da minha mãe. Só que eu tenho uma mãe muito mais ansiosa que eu, que não tem paciência de esperar eu melhorar e que nem sabe direito o que fazer, como acredito eu, muitos pais com filhos que têm depressão.

Eu só gostaria que ela me abraçasse e ficasse quieta. Ou trouxesse uma torta de frango para comermos juntas. Ou ficasse perto sem grandes cobranças. Só queria que ela fosse minha mãe. Mas ela não é. Ela acha que fazer papel de mãe é me ligar 10 vezes por dia para perguntar como eu estou, quando ela já sabe a resposta. Ou vir "fazer visita" quando sabe que isso me incomoda. Mãe não faz visita. Mãe está sempre junto. Ela faz as coisas. FAZ. Ajuda no prático. Liga pro despachante pra ajudar com a documentação do carro. Liga do Itaú Seguros para ajudar no encanamento que não está funcionando. FAZ, mas não faz. Dá pra entender?

Não consigo ser mãe dos filhos que amo tanto e sei que isso vai passar... infelizmente sei que vai passar até a próxima crise de depressão - me chamem de negativista, mas minha vida tem sido assim nos últimos vinte anos... e não encontraram nenhum remédio milagroso que me estabilize por mais de alguns meses. Mas também não tenho uma mãe que consiga ser mãe. Sendo que ela tem seus problemas de saúde, mas não tem depressão.

São relações difíceis e complicadas. Mas gostaria muito que, neste momento, minha mãe fosse só... minha mãe.