sexta-feira, 25 de março de 2016

Compulsão alimentar (ou "minha vida por um Big Mac")

Este é o post que todos esperavam. Vamos falar sobre compulsão alimentar!

Lembrando que não sou médica, sou a doente, que sofre de compulsão alimentar. Quer dizer, além da depressão, do transtorno bipolar e da impulsividade, ganhei de brinde a compulsão. Uma verdadeira oferta dos céus.

Agora falando sério. Não tem NADA DEMAIS ter compulsão alimentar. Eu sou ex-bailarina clássica e estou com mais de 90 kgs. Vocês devem imaginar como estou feliz com isso (só que não). Para quem dançou grande parte da vida e foi magra até os 37, 38 anos, estar pesando mais de 90kgs é o fim do mundo MESMO!

Mas, a culpa é minha? NÃO! Os remédios que eu tomo aumentam o apetite. A depressão me deixa letárgica. Eu estou tendo até pane de sair de casa. Meus pés estão inchados e eu estou usando apenas havaianas, pois meus sapatos ficam apertados. Estou feliz com isso? NÃO! Mas é o que temos para hoje.

Tenho uma colega de profissão que começou um blog que foi parar na Vejinha (olha só que chique), que se chama "Cansei de ser gorda". Sempre achei o título ofensivo, mas quem sou eu, né? Ela emagreceu 18 quilos e tá bonitona e começou esse blog e foi convidada pela Vejinha. Lá ela conta histórias de sucesso (haja sacoooooo) de pessoas que se esforçaram, esforçaram, esforçaram e emagreceram (iupi!!!). Ok. Tem seu valor e não estou desmerecendo. Sò que tem gente que NÃO CONSEGUE, PORRA!!!!

E eu estou aqui pra dizer que é OK ESTAR GORDA, ESTAR GORDO, ESTAR DO JEITO QUE VOCÊ ESTÁ. Se você tem compulsão alimentar e como eu a única coisa que satisfaz é um pratão de yakissoba do China in Box (minha mais recente tentação), vai em frente!

Nossa cabeça precisa estar bem primeiro antes de tentarmos emagrecer e ficar legal naquela calça 42 (nem me vem com calça 38 que fico de mal). A cabeça tem que estar boa. Este é nosso foco principal.

No meu caso, tenho tido laricas de tudo que é frito e engorda - minha pele está aqueeeeela maravilha. Não posso ver nem salada na minha frente. Frutas eu ainda como.... mas de resto, só junk food, macarrão, arroz com feijão de vez em quando. Mas tudo bem, porque minha cabeça está pra lá de Bagdá e não dá pra pensar em dieta agora. Quando der, aí sim eu vou atrás de um médico pra me ajudar. Em épocas de cirurgias bariátricas, dietas funcionais e muito bla bla bla, é preciso de força de vontade para emagrecer. E ESSA FORÇA SÓ VEM QUANDO ESTAMOS BEM. NÃO ADIANTA ESTAR DEPRIMIDA E QUERER USAR 38!!!!!

Fiquem bem. Comam aquela coxinha, aquele risole. Sejam felizes pelo menos pelo estômago!

*Fotos de mim em dezembro de 2013, começo de 2014 e no fim de 2015, com 24 quilos a mais....